Cobertura,  TBT Live

TBT Live: The Maine e o aguardado retorno ao Brasil, sua segunda casa

Que o Brasil é grande parte da história de carreira do The Maine ninguém pode negar. São shows que não se contam mais nas mãos, um DVD gravado em São Paulo, documentários no YouTube, Meet & Greets gratuitos e um público fiel que mesmo após 12 anos não perdeu o entusiasmo em vê-los por aqui.

E quem acompanha, seja pelo tempo que for, entende essa magia – se assim a gente pode chamar – que acontece toda vez que eles pisam no país.

Ao chegar na VIP Station no segundo show, originalmente a primeira data anunciada, víamos fãs caracterizados de todas as maneiras dentro dos símbolos do novo álbum: estrelas, preto e branco e muito brilho. Os chapéus de cowboy personalizados eram um show à parte.

O nono disco do grupo, intitulado The Maine, foi lançado em uma data especial e representa a banda mais do que nunca. Pra entender um pouco mais você pode clicar aqui, mas enquanto isso, voltamos pra São Paulo.

blame, um dos primeiros singles lançados, dá início ao show já com uma energia inexplicável.

Com o nome “The Maine Comes To Brazil”, as duas noites em agosto foram tecnicamente parte da nova turnê, sendo apenas parte da turnê brasileira, já que eles contaram que pretendem voltar em 2024 com mais shows.

John também tomou parte do show pra abrir seu coração e agradecer o público brasileiro por os apoiarem durante todo esse tempo.

É admirável o quanto a banda, sendo artistas independentes, segue entregando um trabalho incrível e genuíno, mas o apoio de fãs é o que os mantém no caminho. Originados lá de Phoenix, no Arizona, saber que podem contar sempre com milhares de pessoas no Brasil, um país há 9 mil quilômetros de casa. Mas é isso que acontece no meio de tanto carinho entre o The Maine e o nosso país, e eles sempre fazem questão de demonstrar sua gratidão.

Foi a primeira vez que eles tocaram funny how ao vivo e esse acontecimento veio acompanhado de um momento pra lá de fofo quando John contou que cantava essa música pra sua filha toda noite antes de dormir.

“É muito louco ser um pai agora, e eu sou muito mais emotivo do que era antes.
É algo que acontece e eu não consigo explicar.”

Misery, uma das favoritas dos fãs e faixa que não estava na setlist foi cantada novamente. Na palavra deles, só pelo tanto que haviam pedido na noite anterior.

Interação com o público é um ponto forte aqui, mas tudo ficou melhor ainda com o cartaz que uma fã levou com “músicas surpresas” para eles escolherem. O resultado foi um mini cover de Wonderwall e uma performance especial de We’ll All Be…

Em Black Butterflies & Deja Vu um casal é convidado ao palco e as energias surreais que vem do palco e da pista se juntam em uma coisa só. A música é seguida de Another Night On Mars, que segue sendo uma faixa perfeita do The Maine pra encerrar um show, e dessa vez com um toque especial dos fãs que levaram bexigas.

We All Roll Along, música mais do que especial pros fãs tocada na noite anterior, faz falta quando não temos o momento pra gritar a icônica frase “8123 means everything to me“. Quem foi na noite do dia 25 teve a chance de viver, e quem foi apenas no dia 26 já espera também a hora deles voltarem pra cantar essa.

Ah! E p.s.: as duas noites foram seguidas de uma afterparty muito, mas muito caótica. Essa experiência pra explicar, só estando lá.

Confira fotos dos shows:

DIA 25.08

Fotos: Dayane Mello/ @daymphotos

DIA 26.08

Fotos: Carol Marins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.