Entrevista

Entrevista: LANY lança seu quinto álbum de estúdio, provando que borrões indefinidos podem possuir sua própria beleza

A banda LANY composta por Paul Jason Klein e Jake Goss, formada em 2014, lançou seu quinto álbum de estúdio titulado “a beautiful blur” no dia 29 de setembro. O We In The Crowd teve a chance de conversar com eles sobre esse novo lançamento, que já está disponível em todas as plataformas digitais!

O álbum traz composições sinceras e verdadeiras de amor e desgosto sendo uma mistura que vêm sendo aperfeiçoada desde 2014, porém, com uma paleta sonora atualizada. Há uma forte presença de guitarras pop-rock brilhantes e batidas animadas como XXL, Out Of My League, Sugar & Cinnamon, I Pray, It Even Rains In LA e Love At First Fight. Músicas como “Heartbreak Can Wait” e “No” são informadas pelas manipulações vocais em camadas. Canções melancólicas como Alonica, ‘Cause You Have To e Home Is Where The Hurt Is, também compõe o disco. 

Paul:  É tão emocionante ir ao estúdio todos os dias e fazer coisas novas. Para mim, não há sensação melhor do que ter algo na manga, algo que você realmente se orgulha e que mal pode esperar para dar às pessoas que apoiam sua música e sua arte. Nós mudamos tudo, mudando o título e a capa, foi muito emocionante e divertido. Todo o processo foi ótimo.

Jake: Quando estamos no estúdio trabalhando em uma música nós surtamos tipo “Oh meu Deus, mal podemos esperar que as pessoas ouçam isso!

Antes da estreia do álbum, alguns singles foram lançados, sendo um deles a canção “Home Is Where The Hurt Is”, produzida por Mike Crossey. Em uma legenda de um post do Instagram, Paul relatou que há músicas que não são tão divertidas quando são colocadas no papel, pela sensação de reviver situações do passado. Esse foi um dos fatores que influenciaram o single. 

Paul: Para a maioria de nós, nada foi perfeito enquanto crescia. Certas coisas pelas quais passamos à medida que crescemos na vida não são realmente boas. É importante processar, falar e cantar sobre alguns desses tempos mais difíceis que acho que todos podemos identificar […] Eu tinha alguns sonhos em meu coração e tinha ambições que queria realizar e que não seria capaz de realizar se ficasse em casa, provavelmente por centenas de motivos. Senti que precisava partir, abrir as asas e voar. No videoclipe mostramos algumas coisas que as pessoas podem deixar para trás e/ou coisas que pesam e que deveriam deixar para trás. Tipo, ciúme, raiva, preocupação, ódio e ansiedade.

A trajetória do som da banda está em constante evolução, seja em suas composições e em suas produções ao longo dos anos. 

Paul: Acho incrível o quanto conseguimos ampliar o som do LANY. Para mim, este seria provavelmente o melhor de todos os nossos álbuns anteriores, se isso faz sentido. Estamos fazendo algumas coisas neste álbum que nunca fizemos antes.

Jake: Paul e eu sempre conversamos sobre fazer um disco sobre algo novo e familiar, tentar algumas coisas novas – coisas que nunca fizemos como banda, parece que está lá para as pessoas, parece familiar e nostálgico. Fizemos exatamente o que queríamos fazer.

Da alguma forma, é ótimo olhar para a esquerda e para a direita e ser inspirado e permanecer como um estudante. É muito importante colocar as vendas e manter o foco no que está acontecendo com LANY e em quem LANY é—sem nos preocupar muito com o que todo mundo está fazendo. É um hábito impossível que você começa a cair e não é muito produtivo. 

– Paul Jensen sobre os altos e baixos da indústria musical

A banda irá entrar em Turnê e nos prometeram que o Brasil é definitivamente um país que está na lista de lugares para tocar! 

Assista a entrevista completa: 

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.