Matéria

UPSAHL irradia poder de superestrela com êxito em mais uma estreia de turnê

Um dia que começou chuvoso e terminou completamente diferente do que a sensação do tempo indicava naquela tarde. UPSAHL é um nome marcante e, caso você nos acompanhe, já deve ter a visto por aqui.

A This Is Still My First Headline Tour (“Ainda É Minha Primeira Turnê”) começou no sábado passado, 29, na Flórida. Essa é uma nova etapa da primeira turnê solo da artista.

O ato de abertura WizTheMc veio direto da Alemanha. Com músicas muito animadas, foi um ótimo esquenta para o set enlouquecedor que estava por vir.

Fotos: Gabriele Montresol

As luzes se apagam e a ansiedade aumenta no momento em que uma intro instrumental coloca todos em estado de alerta. A voz de UPSAHL ecoa proferindo “A-woman”, trecho de Lady Jesus, música e título do seu álbum de estreia. Ali se inicia um transe inegável em que uma coisa se confirma: Taylor Upsahl nasceu para a música e para os palcos. Sua voz tem uma melodia singular, do tipo que você reconhece em qualquer lugar.

Seu estilo musical é único e viciante e involuntariamente é impossível manter o corpo parado. Sua performance é entorpecente e envolve todos, fazendo com que a atenção fique presa na própria. E quando ela pega seu baixo, é quase como se tornasse uma super heroína.

People I Don’t Like, a música mais popular de Taylor atualmente, é a que dá início ao show. Interagindo com o público e a banda de apoio, ela é um pacote completo com um poder de super estrela.

A cantora entra no palco com uma roupa esportiva que pouco depois é aberta e revela um figurino que é a cara dela: um body ousado e grandes correntes pratas no pescoço com as letras PHX, de Phoenix, o estado onde nasceu. Você também verá a sigla PHX no novo trabalho dela “THE PHX TAPES”, singles que não entraram para seu próximo álbum e estão sendo lançados aos poucos em um novo formato.

GOOD GIRL ERA é um dos novos singles, e quem estava no Crowdbar naquela noite por acidente, dificilmente acreditaria que não havia nem 24 horas desde seu lançamento. A energia que UPSAHL levantava ali fazia com que todo mundo pulasse sem parar e cantasse toda a letra da música verso por verso.

Em Last Supper ela conta que compôs para uma amiga, e pede para que todos naquele momento abrace o amigo e diga que o ama. A setlist foi feita com ajuda dos seus ouvintes que votaram em um formulário on-line antes do início dos shows. Bem recheada com 25 músicas, faixas favoritas dos fãs como STOP! e Stressed foram incluídas.

Taylor sempre faz questão de relembrar sua origem e Arizona se torna o momento mais calmo da noite. Na música ela fala sobre quem é e como ninguém vai mudar sua essência. Algo que é transparente na forte personalidade que emana da jovem de cabelos vermelhos no palco. Em seguida Antsy puxa ainda mais o momento melancólico.

Se alguma força se dissipou, naquele momento ela foi recarregada. No meio do show ela resgata seu celular para fazer um BeReal com os fãs e após várias músicas que facilmente seriam hits, há uma pausa para um breve suspense como se o show fosse acabar.

No bis ela volta com Monica Lewinsky, uma das faixas mais poderosas da sua discografia, para em seguida elevar ainda mais a energia em Lunatic, quando ela desce do palco e entra no meio do público como a cereja no topo do bolo dessa festa.

Seu maior sucesso, Drugs, é o encerramento perfeito. E não se engane, mesmo depois de toda a loucura não há exaustão, apenas a vontade de voltar no tempo pra viver tudo aquilo de novo.

Fotos: Gabriele Montresol

Ouça as novas faixas, GOOD GIRL ERA e CONDOMS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.