Resenha

Provando que 81 é apenas um número, Paul McCartney realiza show de 3 horas em São Paulo

Foto: Marcos Hermes

A segunda apresentação de Paul McCartney com a turnê Got Back no Allianz Parque foi marcada pela reunião das três gerações em uma noite nostalgia.

Com quase três horas de duração, o ex Beatles mostrou todo seu carinho e simpatia ao público brasileiro, já entrando no palco com um “O pai tá on!” sendo ovacionado com risadas do público.

A relevância dos Beatles para a música é mostrada em forma de amor por todo o estádio, mesmo com pessoas de idades mais velhas, todo mundo estava se divertindo ouvindo os hits da banda britânica e as músicas solo de Paul.

As primeiras músicas da noite foram do álbum “A Hard Day’s Night”, de 1964 e já começou agradando a plateia. Milhares de pessoas na pista dançavam, porém visivelmente a grande maioria não conhecia as primeiras canções.

O show começou a esquentar com “Got to Get You Into My Life” recebendo mais entusiasmo da galera.

Percebemos que Paul é um verdadeiro Showman que conduz o palco e a plateia como ninguém. Tocando violão, baixo, piano, teclado, e mais alguns instrumentos, ele mostra que seus 81 anos não são mostrados em seu corpo.

Com homenagens a Jimmy Hendrix e John Lennon, além da esposa Nancy Shevell, com a musica “My Valentine”, McCartney não deixa de relembrar toda sua história durante todo o espetáculo.

A partir de “Love Me Do”, a platéia acordou. O restante do show foi ainda mais sensacional e percebemos todo o publico participando e curtindo as musicas. Com hits como “Ob-La-Di, Ob-La-Da “Band on the Run”, “Get Back” e “Let It Be” os verdadeiros fãs dos Beatles duram tudo de si nas canções.

Logo quando começa “Live and Let Die” um incrível show de fogos ilumina o palco com Paul no teclado.

As bandeiras do Reino Unido, Brasil e a do movimento LGBTQIA+ entram no palco e Paul junto com as banda balançam elas recebendo aplausos do público.

Durante “I’ve Got a Feeling”, John Lennon aparece no telão e juntos ele e Paul fazem um dueto emocionante.

No lugar de “Birthday”, “I Saw Her Standing” entrou na setlist e recebeu muita aprovação dos presentes pela escolha.

Gerações de fãs terminaram o show totalmente emocionados quando os últimos acordes de “The End” chegaram. Para aqueles que puderam viver esse momento, é uma energia inexplicável de se estar no mesmo espaço que uma grande figura da música que é Paul McCartney.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.