Entrevista

Entrevista: Marianna fala sobre primeiros anos de carreira e metas para se tornar o novo ícone da música brasileira

Cantora, compositora e criadora de conteúdo. Marianna já conseguiu mostrar por diversas vezes que é um verdadeiro multitalento e, mesmo assim, sempre reforça que o público só viu o início até agora. Com lançamentos que flertam com o R&B e com o pop, ela vem surpreendendo até mesmo cantores experientes, como a própria Alcione – que rasgou elogios a um cover feito pela cantora novata. 

Iniciando oficialmente a carreira em 2022, Marianna conversou um pouco com a We In The Crowd sobre como está sendo essa jornada na música e mostrou para o público motivos mais do que especiais para acompanhá-la nessa caminhada. 

“Eu lancei a minha primeira música em maio de 2022 então, daqui a pouco, eu tô completando 2 anos de carreira (…) Música sempre foi o que eu sabia que ia fazer da minha vida, eu sempre soube que queria ser artista mas, por diversas razões, não era um sonho muito palpável ainda. Então, eu trabalhei nos bastidores do entretenimento e fui aprendendo sobre a indústria até decidir lançar minha música.”

Em setembro de 2023, a carioca lançou seu primeiríssimo EP, chamado “Não Posso Te Esperar”, que contava com 5 faixas escritas pela artista através de suas experiências pessoais. Com temas que vão desde o amor próprio até romances e desapegos do mundo moderno, Marianna surpreendeu ao mostrar letras tão identificáveis e compreensíveis para o público – o que acabou criando uma conexão instantânea com seus fãs e ouvintes.

“Eu sinto que esse primeiro EP – Não Posso Te Esperar – é o resultado de uma vida inteira querendo colocar um monte de coisa pra fora, querendo me expressar e eu tentei colocar tudo isso em 5 músicas. Eu pensei em todo audiovisual, escrevi tudo, me libertei bastante em relação a arte (…) O EP veio depois de um término que me inspirou a escrever muita coisa e eu acabo falando sobre a minha vida mesmo. Todas as minhas músicas são um grande exposed dos meus relacionamentos.”

Porém, Marianna também revelou que novos sentimentos surgiram com o início de sua carreira musical, como o medo e a ansiedade da reação do público que antecedem o lançamento de projetos, principalmente aqueles mais especiais no coração do artista.

“Eu tô descobrindo que a vida do artista é muito pautada na ansiedade. É um misto de estar muito feliz com o trabalho que você fez e ter um medo também de tipo “Será que as pessoas vão gostar? Será que eu tô fazendo um negócio que não faz sentido?”. Mas eu diria que a coragem e a felicidade de ter lançado (o novo EP) definitivamente venceu a ansiedade.” 

Mostrando um carisma muito natural, junto com essa vontade imensa de trabalhar no mundo do entretenimento, Marianna começou sua vida pública em 2016, com um canal no YouTube focado no processo de independência acarretado pela decisão de morar sozinho. A iniciativa – intitulada “De Mudança” – já acumulou mais de 3 milhões de visualizações até o momento.

“Meu canal de mudança me ajudou muito na carreira musical. Hoje, uma das partes mais importantes da carreira de um artista é ter essa presença nas redes sociais e gerar esse engajamento, e ele me ensinou muito sobre isso. Já ter uma base de fãs e pessoas que já confiam no seu trabalho e confiam na sua figura pública é muito importante. Eu pretendo voltar com o canal, eu amo ser Youtuber.”

Assim como seu canal no YouTube – feito através de sua própria experiência ao se mudar de casa e de cidade – a cantora sempre deu muita importância na sinceridade em que os trabalhos passam e no quanto o artista em questão se conecta com o que coloca a público. Sempre dando um toque muito pessoal às suas canções, “A Outra Eu” – um dos novos lançamentos de Marianna – foi pautado na falta de autocuidado e amor próprio que podemos ter em nossa rotina, nos colocando como vilões sem nem perceber. A canção recebeu mais de 80 mil visualizações no YouTube e mostrou que essa sinceridade da cantora é mais do que especial para quem ouve. 

“O tipo de música e o tipo de arte que eu gosto é justamente quando eu consigo ver que a pessoa tá ali se entregando, falando dela. Eu preciso dessa verdade pra me conectar.”

Se consolidando como uma incrível compositora em potencial, Marianna sabe reconhecer letras inesquecíveis de outros artistas, que conseguem mudar a vida das pessoas – incluindo a sua. Antes de começar com seus lançamentos autorais, ela deu o pontapé inicial da sua carreira com uma regravação envolvente da icônica faixa “Meu Vício é Você”, originalmente cantada por Alcione, e chegou até mesmo a receber elogios da mesma. 

“Não poderia ser outra pessoa além da Alcione para esse início. Eu realmente vejo ela como uma artista que abriu as portas para que mulheres negras – como eu, que falam sobre amor – tivessem seu espaço na música brasileira. E ter recebido um áudio da própria Marrom depois, falando que gostou, foi um dos maiores presentes que eu recebi desde o meu primeiro lançamento.”

E é perceptível a grande influência de grandes nomes da música na carreira de Marianna, que também nos contou quem são seus artistas favoritos no momento e como eles estão presentes no processo criativo que ela vem levando.

“Eu amo ser fã de artistas. Atualmente, os artistas que eu mais escuto são: Rosalía, que foi muito importante quando eu tava produzindo o “Não Posso Te Esperar”, ela é uma artista que faz tudo, ela tem um domínio muito grande sobre a carreira dela, então eu me inspiro muito nela. Beyoncé é minha religião, amo muito essa mulher e ela me guia desde que eu a conheci no Destiny’s Child. Alcione, com certeza. Jão é uma pessoa que eu amo. Eu amo como ele escreve sobre a vida dele.” 

Em apenas dois anos de carreira, a carioca se mostrou uma das artistas mais promissoras dos próximos anos. Com planos de lançar diversas músicas em 2024 e retornar a sua cidade natal, o Rio de Janeiro, para se apresentar, ela reforçou que ainda tem muitas metas e não vai descansar até cumprir cada uma delas.

“Eu tenho metas ambiciosas porém reais. Uma das minhas maiores ambições é lançar o melhor álbum da história da música brasileira e eu estou trabalhando pra isso. Eu olho longe e acho que a arte te dá essa liberdade, de imaginar o inimaginável mesmo. Eu também tenho um desejo muito grande de tocar no Rock In Rio. Eu sou uma pessoa que, pelos próximos anos, você vai ter que me ouvir cantar. Porque eu não vou parar de fazer isso.”

Assista os vídeos da entrevista em nosso Instragram clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.