Entrevista

Entrevista: Fletcher fala sobre cura não-linear, seus antídotos e artistas brasileiros

Após anos de espera, Fletcher finalmente desembarcou no Brasil para se apresentar no Lollapalooza. Essa vinda também veio marcada por duas datas especiais: o seu aniversário e o lançamento do seu álbum, In Search of the Antidote.

O sucessor do seu álbum de estreia, Girl Of My Dreams, aborda um storytelling mais profundo trazendo mais do lado cru e sincero do pop de Fletcher. O título tem uma palavra chave, “Antídoto”, que retrata a todos os pontos de apoio em que ela procurou durante o processo de cura. Sendo eles: mulheres, estradas, o palco, fãs, espiritualidade e auto reflexão.

Dias antes do seu show no Lollapalooza, na quarta-feira — um dia antes da nossa entrevista —, Fletcher pôde ter um gostinho do público brasileiro em um show mais intimista no Cine Joia.

“O show de ontem bateu 116 decibéis, o que é equivalente ao volume de um avião decolando. (…) É muito louco. Foi muito alto.”

Em 2023, foi diagnosticada com a doença de Lyme e se afastou do seu tão conturbado mundo musical. Para ela, a maior mudança foi ter se tornado uma pessoa mais pacífica que se aceita no momento ao invés de continuar se pressionando para atingir números e impressionar pessoas.

Cari também reforçou a importância de colocar em sua composição o fato de que cura e sentimentos nem sempre vêm de modo linear.

“Nós podemos honrar nosso passado e o amar profundamente, mas às vezes isso nos mantém presos em um estado em que nos identificamos demais com quem já fomos e pelo que passamos — o que é lindo para nossa jornada, mas ao mesmo tempo às vezes não precisamos mais carregar tudo isso com a gente.”

Mudando um pouco a rota da conversa, voltamos ao tópico Brasil. Uma colaboração que ela quer muito atualmente? Anitta!

Além disso, Fletcher nos conta que conhece Day Limns, Carol Biazin e Jão. Bem antenada na música atual brasileira, não?! Nós amamos!

Encerramos o bate papo ensinando um pouquinho de português, como “vai pra terapia”.

Assista a entrevista completa aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.